servletrecuperafotoSeguindo com as homenagens aos professores, hoje é dia de conhecermos um pouco melhor a Prof.ª Renata Costa Farias Simeão, que irá viajar para realizar o sonho do Doutorado em Portugal!

    Renata Costa Farias Simeão
    Mestre em Ciência Política
    Professora de Ciência Política

O que fez você perceber que queria ser professora?

Foi meio que de repente. Eu estava em Brasília, tinha casado e tinha ido para lá. Me perguntaram se eu toparia dar aula, nessa época eu estava já inscrita no Mestrado e eu disse que topava no domingo, para começar na segunda. Na época da faculdade, eu fui monitora na parte da docência, então já tinha tido essa ideia do que é dar aula. Eu já achava legal, mas eu caí meio que de paraquedas, isso já fazem 11 anos.

Como surgiu a possibilidade do Doutorado e em que você vai fazer?

Vou fazer Doutorado em Ciências Criminais, que é uma área que tem pouco no Brasil, por exemplo, aqui no Nordeste a gente não tem nenhuma universidade que tenha. Surgiu também por que eu sou casada com um professor que também é mestre e a gente sempre tinha vontade de fazer o doutorado. Tudo acabou dando certo, além de que nós gostávamos também da ideia de passar um tempo no exterior fazendo o doutorado. Vamos agora nós dois fazer doutorado. O mais interessante na minha área é a área específica que é ciências criminais que se eu fosse fazer aqui no Brasil eu teria que ir para o Sul, pra São Paulo, alguma coisa assim. Hoje eu tenho a oportunidade de ir pra Portugal.

Que dica você daria para os alunos que irão prestar ENEM daqui algumas semanas?

Na realidade eu acho que é uma fase bem difícil, porque é uma época onde a gente ainda é muito jovem e a gente tem que decidir o que é que a gente vai fazer. Acho que cada um tem que se imaginar trabalhando com aquilo e fazer aquela pergunta: “será que eu vou ser feliz trabalhando com aquilo?”, “será que vai ser bom fazer aquilo?”, porque ainda tem muitos adolescentes que vão fazer vestibular pra isso ou aquilo por que a mãe, pai ou a família quer, e assim, você pode até fazer uma coisa que os seus pais queiram, desde que você vá ser feliz e se realizar fazendo aquilo.